segunda-feira, 18 de abril de 2016

Glamping em Bled!

Pela primeira ficamos alojados em "barracas luxuosas", glamping, algo que não conhecia até então. Nada mais é que barracas com uma infraestrutura bem legal e charmosa por dentro. Lembra aquelas dos índios norte-americanos, enormes, altas e uma decoração linda! Ficamos em Bled, cidadezinha que adoro, num início de primavera bem gostoso.
O local Garden Village Bled http://gardenvillagebled.com/en/accommodation/glamping_tents é lindo, cheio de barracas e com casas nas árvores! Sempre quis conhecer uma e passar uma noite lá, mas todas estavam reservadas! O que mais me chamou a atenção, além do lugar ser lindo, são as áreas verdes cobertas de plantas comestíveis! O restaurante serve comida com os ingredientes da estação e da sua própria horta e é uma delícia! Tem parquinho pra crianças e um riachinho bem legal.


Fontes das imagens: www.slovenia-trips.com e tripadvisor.com

segunda-feira, 28 de março de 2016

Que horas ela volta?

Um filme que me surpreendeu e me fez refletir muito sobre a nossa sociedade! Vale a pena assitir!



segunda-feira, 14 de março de 2016

África: Um Continente sem História?

Ao preparar aula encontrei este fantástico vídeo sobre a discussão sobre a África, África: Um continente sem história? Vale muito a pena ver a primeira parte do Emir Sader, meia hora e sua esclarecedora explicação sobre a visão atual do continente africano!


quinta-feira, 10 de março de 2016

Como eu conheci o quarto montessoriano

Deixando a viagem de lado um pouquinho, queria compartilhar como eu conheci o método montessoriano e como me encantei por ele. Foi há três anos quando estava procurando ideias pro quarto da Maíra e descobri numa reportagem do Ig o "quarto montessoriano" http://delas.ig.com.br/filhos/2012-11-01/seu-filho-precisa-mesmo-de-um-berco.html ! A ideia de um quarto sem berço e que a criança fica livre para brincar me agradou muito. Desde então, tenho posto em prática muita coisa e lido blogs e livros para saber mais sobre o tema. 
Gostaria de compartilhar os livros que tenho lido, pois acho que tem pouquíssimo material em português e muitos inglês, mas é difícil saber o que realmente vale a pena ler. Já de blogs também é o mesmo e os que mais gosto são os howwemontessori.typead.com e http://sewliberated.typepad.com/ 
Livros imperdíveis pra quem quer educar o seu filho com o método montessoriano para mim são:
1.Montessori from the start: The child home, from birth to age three
2. How to raise an amazing child the montessori way
3. The joyful child: Montessori, global wisdom for birth to three
4. Child of the world: Montessori, global education for age 3-12+
Acho interessante ler a própria Maria Montessori, a criadora do método, recomendo A mente absorvente. 
Boa leitura!
P.S No blog da Luísa, minha amiga, tem um artigo bem legal pra saber mais sobre o quarto montessoriano: https://blogdamamaesustentavel.wordpress.com/2013/08/19/quarto-sustentavel-para-bebe/
Fonte: Mama liberated

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Aix en Provence: paixão à primeira vista

Quanto mais viajava pela França, mais gostava e achava estranho o por quê que as pessoas achavam os franceses grossos. Mais tarde viria a ver que se trata dos parisienses e não do povo todo!
Aix en Provence foi paixão à primeira vista! Foi muito rápido, mas muito intenso. Passamos só uma noite e uma manhã, mas foi o suficiente para deixar com um gostinho de quero mais!
Me lembro que fiquei encantada com a charmosa iluminação das ruas, como é gostoso conhecer uma cidade à noite e com uma temperatura agradável! Fora o fato de não ter segurança nas ruas e não sentir medo de andar livremente! Uau!
Jantamos num lugar barato, isso é, 5 euros por um prato de comida! Podíamos escolher o tipo de massa e de molho. Caminhamos na frente de uma igreja que estava tendo um conserto e entramos. Eu não podia acreditar naquela cena: eu sentada na igreja, sábado à noite, o que está acontecendo comigo, meu deus!!!
No dia seguinte, fomos ao Museu do Cézanne, um pintor pós-impressionista de lá, cujas obras acho muito bonitas. Achei lindo o lugar e as pinturas.
Bem, do pouco tempo que fiquei na França fiquei com a sensação de que poderia conhecer toda ela e que iria adorar, pois tudo é muito lindo! Paris estava no meu roteiro daqui a algumas semanas e aí sim poderia conhecer de perto a famosa cidade e a fama dos franceses!


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Avignon: uma ótima surpresa

Até aquela viagem, nunca tinha ouvido falar sobre Avignon. Depois que cheguei é que fui saber um pouco mais.
Avignon é uma cidade conhecida por ter sido por muitos anos a residência dos papas. Seu Palácio dos Papas é enorme, incrível. A cidade é cortada por um rio, o que viria a perceber nas próximas viagens que adoro ver nas cidades europeias. Ficamos em um hostel e pela primeira vez percebi como que é importante a companhia para viajar, ou seja, é preciso ter interesses em comum e ritmos parecidos, se não, cada um quer ir para um lado e não se vê nada! Os primeiros desentendimentos aconteceram ali, entre nós, mas conseguimos contornar e seguir a viagem tranquilamente, 
Não gosto de turismo religioso, mas não pude deixar de apreciar a arquitetura e sua magnitude. A partir daquela viagem comecei a perceber a energia que tem nas igrejas e tentar entender o por quê que as pessoas buscam tais lugares para encontrarem a sua paz. Como estudei história e sou bem cética, não consigo acreditar na Igreja como instituição, mas respeito.
Adorei passear pelas suas ruas estreitas, casas charmosas e natureza colorida. Me lembrei muito do meu ex, pois ele teve uma forte relação com a igreja. Tudo me parecia tão intenso e não conseguia entender como é que ele pôde um dia fazer parte daquele mundo...
A cidade me surpreendeu e saí de lá curiosa para ver como seria a terra de Cèzzane, Aix in Provence!











quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Marselha, muito prazer!

A minha primeira viagem de low cost não foi das melhores. Saímos em cima da hora, tivemos que correr naquele imenso aeroporto de Barajas, tive que jogar fora meu canivete, não tinha nada pra comer no voo, enfim, várias novas experiências. Mas, apesar de tudo, a viagem foi rápida e tranquila! Pousamos em Marselha, a cidade mais antiga francesa e fomos de ônibus para o centro. Enquanto via aquela paisagem agreste, ouvia a minha seleção de músicas que me remetia ao amor que não tinha dado certo, às lembranças e memórias ainda muito recentes e dolorosas. "Dont get me wrong" estava presente diariamente. Éramos três mulheres viajando, cada um com seus pensamentos e mp3. 
No começo, achei muito estranha Marselha com seus moradores africanos vendedores de bolsas italianas e ruas vazias. Mais tarde, ao nos aproximarmos do mar, pude apreciar a beleza incrível de seu cais e suas centenas de veleiros. Passeamos de bicicleta, caminhamos e nos divertimos num belo pôr do sol. Me chamou a atenção a lindíssima igreja Notre-Dame de La Garde.
Tive uma experiência única que me marcou bastante, passamos uma noite num centro budista! Pagamos uma simbólica contribuição e tivemos uma noite tranquila de sono!
Marselha foi mais uma cidade de passagem que qualquer outra coisa. Me lembro que algo me marcou em relação ao lugar e Napoleão. Ao procurar, encontrei que o hino francês "La Marseillase" foi feito primeiramente como uma canção, em 1792, durante a Revolução Francesa e recebeu grande popularidade entre tropas de Marselha, daí seu nome. E quando Napoleão subiu ao poder, baniu a Marselhesa por possuir um caráter revolucionário. Interessante.
O tempo era curto, chegou a hora de partir para Avignon!